Comissionamento


Há algum tempo vinha refletindo sobre como conseguir amar melhor as pessoas para que meu comissionamento pudesse ser mais efetivo e verdadeiro...

Na semana passada, em uma conversa com o missionário, após expor essa dúvida pedindo uma solução pragmática, ele me fez perceber algo interessante na passagem do comissionamento de Pedro – a coordenação das orações:

Depois de comerem, Jesus perguntou a Simão Pedro: "Simão, filho de João, você me ama realmente mais do que estes? " Disse ele: "Sim, Senhor, tu sabes que te amo". Disse Jesus: "Cuide dos meus cordeiros".
Novamente Jesus disse: "Simão, filho de João, você realmente me ama? " Ele respondeu: "Sim, Senhor tu sabes que te amo". Disse Jesus: "Pastoreie as minhas ovelhas".
Pela terceira vez, ele lhe disse: "Simão, filho de João, você me ama? " Pedro ficou magoado por Jesus lhe ter perguntado pela terceira vez "Você me ama? " e lhe disse: "Senhor, tu sabes todas as coisas e sabes que te amo". Disse-lhe Jesus: "Cuide das minhas ovelhas.
João 21:15-17

Como dá para ver, o ponto de partida para a missão é amar primeiramente a Deus (o que concorda com o primeiro mandamento), para que, em seguida, venhamos a cumprir aquilo que Ele nos confiou. Isso porque quando enfrentamos algumas dificuldades, nosso amor ao próximo pode fraquejar ao ser traído, enganado, mas, se temos como ponto de base o amor infalível de Deus conseguimos sustentar o trabalho.

Depois desse mind-blown, comecei a pensar em como poderia amar mais a Deus e cheguei à conclusão de que é na obediência que encontramos a manifestação do amor. O próprio Cristo que disse em João 14:21 que quem tem seus mandamentos e os guarda, esse é o que o ama.

Assim, inaugurei um reexame de consciência, que já produziu frutos essa semana (talvez esse blog seja um deles), refletindo sobre meus atos desobedientes, corrigindo rota, a fim de fazer resplandecer a Sua face nas minhas atitudes e, de modo consequente, cumprir minha missão de modo mais sublime.





L. Gonçalves

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Venezuelanos

A estrada um tanto quanto lenta da santificação